• Autor Hans Christian Andersen
  • Ilustrador
  • Coleção Tesouros da Literatura
  • ISBN 9789897074608
  • PVP 8,99 € (IVA incluído)
  • preço fixo até fim de janeiro de 2019
  • 1ª Edição julho de 2017
  • Edição atual
  • Páginas 160
  • Apresentação capa mole
  • Dimensões 140x208x11 mm
  • Idade 9+

Os contos de Hans Christian Andersen foram transmitidos de geração em geração, sem nunca perderem a sua magia e encanto.

Textos integrais, com nova tradução diretamente do original dinamarquês.

Hans Christian Andersen foi muito influenciado pelas experiências pessoais, sobretudo da infância marcada pela miséria. Os seus contos são espelho dos contrastes da condição humana: alegria e tristeza; riqueza e pobreza; sonho e realidade; vaidade e humildade; amor e dor. Quem lhes dá corpo são personagens imaginárias, que quase sempre adquirem uma nova vida, envoltas numa admirável narração.

Esta obra reúne nove dos mais belos contos da literatura mundial: As Roupas Novas do Imperador, A Princesa e a Ervilha, O Rouxinol, A Pequena Sereia, O Soldadinho de Chumbo, O Patinho Feio, A Menina dos Fósforos, Os Sapatos Vermelhos e O Abeto.

«Hans Christian Andersen é recordado sobretudo pelos seus fantásticos contos, que nos transmitem, após tantos anos decorridos, valiosas lições de vida.» in Prefácio de João Reis

A Coleção Tesouros da Literatura, da qual este livro faz parte, oferece uma cuidada seleção de obras fundamentais da Literatura Universal, muitas das quais são recomendadas pelas Metas Curriculares de Português e pelo Plano Nacional de Leitura.

Hans Christian Andersen nasceu a 2 de abril de 1805, em Odense, na Dinamarca. Filho de um sapateiro, a sua família era bastante humilde. Apesar das dificuldades, aprendeu a ler muito cedo.

Em 1816, o seu pai morreu, o que o levou a abandonar a escola. Mostrava já nessa altura uma forte aptidão para o teatro e para a literatura. Aos 14 anos, foi para Copenhaga, onde trabalhou como ator e bailarino, além de escrever algumas peças. Quando, em 1828, Hans Christian Andersen entrou na Universidade de Copenhaga, já tinha publicado diversos livros. Contudo, o reconhecimento internacional apenas chegou em 1835, com o lançamento do romance O Improvisador.

Apesar de também ter escrito romances para adultos, livros de poesia e relatos de viagens, foram os contos infantis que o tornaram famoso. Graças à sua contribuição para o universo da literatura infantojuvenil, é no dia do seu nascimento, 2 de abril, que se celebra o Dia Internacional do Livro Infantil.